Na concepção dos seus produtos, a IBCO preocupa-se com os seguintes aspectos:

• Liquidez;
• Segurança;
• Controlo do risco;
• Maximização da rentabilidade;
• Informação ao cliente.


Liquidez:

Em todas as contas da IBCO, o património dos clientes é investido em activos bastante líquidos, ou seja, em activos que não apresentam dificuldades em serem convertidos em dinheiro. Tanto as obrigações de dívida pública e de grandes empresas, como as acções de grandes empresas, apresentam volumes de transacções diárias bastante elevados, fazendo com que haja uma grande facilidade de se efectuarem transacções a preços normais de mercado.

Por outro lado, nenhum tipo de conta da IBCO apresenta barreiras à entrada e/ou saída, não havendo para tal quaisquer comissões sobre depósitos ou sobre levantamentos.
Nenhum tipo de conta da IBCO apresenta prazos mínimos de investimento obrigatórios.

Em resumo, todos os clientes da IBCO poderão, sem quaisquer limites e sem quaisquer custos, efectuar depósitos, levantamentos, alterações do tipo de conta, aberturas de conta e encerramentos de conta.

 

Segurança:

Ao contrário de outros tipos de instituições financeiras (ex.: bancos e seguradoras), em que os depósitos efectuados pelos seus clientes passam automaticamente a integrar o património dessas instituições, fazendo com que o cliente passe também a correr o risco inerente a essas mesmas instituições, numa gestora de patrimónios, como a IBCO, o cliente não perde, em circunstância alguma, a propriedade dos activos que compõem as suas contas. Os activos que compõem as contas de cada cliente mantêm-se perfeitamente autónomos relativamente ao activos da gestora e aos activos dos outros clientes.

Em todos os seus produtos, a IBCO utiliza apenas activos que atribuem direitos financeiros claros aos seus detentores, tais como direito a juros, a reembolso e a dividendos. Por norma é evitada a utilização de activos normalmente chamados de “sofisticados’’, dado que estes poderão esconder riscos de difícil mensuração.
 
Em termos de obrigações, são utilizadas aquelas que detêm os mais altos níveis de Rating, sendo normalmente de Dívida Pública Soberana e de Dívida Sénior de grandes empresas. Em termos de acções, são utilizadas as das maiores empresas a nível europeu e mundial.

 

Controlo do Risco:

O nível de risco dos vários activos disponíveis para investimento é medido através do seu nível de volatilidade histórica, que representa a amplitude de imprevisibilidade do seu comportamento ao longo de um dado período de tempo. Por exemplo, para o período de um ano, as obrigações de dívida pública de curto prazo apresentam um nível de risco baixo, cerca de 1%. As obrigações de dívida pública de médio prazo apresentam um nível de risco moderado, cerca de 4%. As acções de grandes empresas apresentam, em média, um nível de risco elevado, cerca de 20%.

Dado que a rentabilidade esperada de um dado activo de investimento é directamente proporcional ao seu nível de risco, e dado que o nível de risco vai decaindo com o aumento do prazo de investimento, os activos de maior risco tornam-se apetecíveis a partir de um dado horizonte temporal de investimento. Assim, em termos de controlo do risco do investimento, a perspectiva temporal do investimento é o factor fundamental na escolha dos activos. No entanto, apesar de tal factor ser importante, outros factores, como a aversão ao risco por parte do investidor, devem ser tomados em linha de conta. A correcta aferição de todos esses factores é fundamental para a decisão de investimento.
 
Na IBCO pode contar com as melhores metodologias para se apurar o seu verdadeiro perfil de risco.

 

Maximização da Rentabilidade:

Após ter sido definido o nível de risco que cada cliente pode e está disposto a incorrer, a tarefa da IBCO centra-se em aplicar os seus melhores modelos de escolha de activos às contas do cliente. Esses modelos de escolhas de activos baseiam-se sempre em criteriosas avaliações das variáveis macro e micro económicas relevantes. Todos os modelos da IBCO são suportados por sistemas computacionais que permitem que aqueles se possam basear em informações de mercado disponibilizadas em tempo real.

 

Informação ao Cliente:

De acordo com a legislação em vigor, a IBCO envia extractos de conta aos seus clientes numa base semestral, podendo ser trimestral caso o cliente assim o solicite.

O extracto de conta contém toda a informação necessária para que o cliente possa verificar, de uma forma clara, a evolução do seu investimento, os depósitos e os levantamentos efectuados, a lista discriminada dos activos que compõem a conta e todas as operações efectuadas no período.

Para além desta informação em papel, a IBCO disponibiliza o extracto de conta no seu website, numa base diária.

 
O cliente poderá ainda solicitar, a qualquer altura, qualquer informação sobre as suas contas.

De acordo com a política de transparência da IBCO, todas as informações referentes ao valor das contas dos clientes são apresentadas em termos líquidos, ou seja, estão deduzidas de todos os custos relativos à sua gestão, bem como de todas as retenções de impostos.