Filosofia da Instituição

Desde o início da sua actividade, em 1999, a IBCO tem mantido a sua filosofia de Discrição e Independência, a par da sua convicção de que os activos de investimento tradicionais, obrigações de dívida pública de países desenvolvidos e acções e obrigações de grandes empresas mundiais, são normalmente os mais indicados, dados os seus elevados graus de segurança, previsibilidade e de liquidez.

• Missão:

A IBCO tem como objectivo fornecer um serviço de qualidade aos seus clientes. As características desse serviço passam por um acompanhamento personalizado, máxima confidencialidade e transparência, a par da preocupação contínua de preservação e rentabilidade do património dos seus clientes, de acordo com objectivos perfeitamente definidos.

• Discrição:

A IBCO entende que a Discrição é um valor próprio da actividade financeira e é um bem valorizado por todos os seus clientes. Desta forma, a IBCO elegeu a Discrição como um dos seus pontos fortes. Como tal, toda a empresa está organizada de forma a que esse objectivo possa ser uma realidade.
A Discrição faz parte da cultura comportamental da IBCO desde a sua fundação.

• Independência:

Dado que a IBCO não está associada a nenhum grupo financeiro, goza de toda a liberdade para recomendar e escolher os activos de investimento e os fornecedores dos serviços financeiros que, apenas e só, considera que são os mais adequados para cada um dos seus clientes. Desta forma, os objectivos da IBCO encontram-se perfeitamente alinhados com os objectivos dos seus clientes.

• Activos de investimento utilizados:

• Obrigações de dívida pública de países da Zona Euro;
• Obrigações de dívida de grandes empresas da Zona Euro;
• Acções de grandes empresas da Zona Euro.

A opção pelos activos de investimento cotados em euros deve-se ao facto de os clientes da IBCO terem normalmente as suas responsabilidades e os seus objectivos também denominados em euros.

 
A Zona Euro é composta por países com um nível de risco relativamente baixo, que faz com que as obrigações de dívida pública emitidas por esse conjunto de países sejam uma referência a nível mundial e sirvam de refúgio aos investidores internacionais em momentos mais conturbados dos mercados financeiros.
 
As empresas cotadas nas bolsas da Zona Euro comparam bastante bem com quaisquer outras empresas a nível mundial, em termos de dimensão, de liquidez e de cobertura por parte dos mais variados analistas internacionais.
 
A utilização de activos de investimento denominados em outras moedas tem de ser cuidadosamente analisada dado que esses activos introduzem inevitavelmente um nível de risco acrescido: o risco cambial.
 
Dadas todas estas características, os investimentos em activos da Zona Euro, constituem normalmente a melhor opção de minimização do risco e maximização da rentabilidade para os nossos clientes.